Luzvesti+ Bonecas falando para o mundo + Dramaturgias Voadoras

Código: XYKX89Y3R Marca:
2x de R$ 40,00
R$ 90,90 R$ 80,00
Comprar Disponibilidade: Imediata Estoque: 26 unidades
    • 1x de R$ 80,00 sem juros
    • 2x de R$ 40,00 sem juros
    • 1x de R$ 80,00 sem juros
    • 2x de R$ 40,00 sem juros
    • 3x de R$ 27,94
    • 4x de R$ 21,43
    • 5x de R$ 17,46
    • 6x de R$ 14,76
  • R$ 80,00 Boleto Bancário
* Este prazo de entrega está considerando a disponibilidade do produto + prazo de entrega.

Dramaturgias Voadoras

Textos em português e espanhol.

Páginas: 236

Editora: Devires

ISBN: 978-85-93646-02-7

Organizadores: Djalma Thurller, Duda Woyda, Rafael Medrado, Marcus Lobo

O Ateliê voadOR é escrita assim mesmo, com destaques para as letras que iniciam a palavra ateliè e para as que finalizam a palavra voador: AT OR. Essa opção em registrar o nome da Companhia remete a sua origem, no Rio de Janeiro. Desde a peça inaugural, O Lustre, de Antonio Hildebrando, a Companhia reinvida o ator de teatro, o ator que tem domínio sobre seu ofício, sobre suas técnicas e suas potências, em contraponto ao ator “fetiche”, aquele que tem sua função mitificada pela espetacularização de um mundo profissional desencantado. Em Salvador, desde 2009, se consolida com pesquisas a partir do pensamento de Foucault, dos Estudos Pós-Coloniais e dos Estudos Queer, investigando sobre como as formas de poder foram/são estruturadas ao longo da história e como precisam, com urgência, ser compreendidas e enfrentadas. Este livro trata das relações entre o teatro contemporâneo e as identidades “desviantes” de gênero e sexualidade. Tendo como objetos de análise os espetáculos Carnes Tolendas: retrato escénico de un travesti (Argentina), Luis Antonio-Gabriela (BR), Ópera (BR) e Paloma para matar (BR), seu objetivo é investigar como as formas assumidas pela cena na atualidade traduzem uma crise das categorias identitárias LGBTI+. Tomando as identidades de gênero e sexualidade em seu caráter performativo, este estudo considera que o palco contemporâneo, como máquina de produzir representações, questiona, mais que afirma, os saberes e significados estáveis sobre o “desviante”.

 

Bonecas Falando Para o Mundo: Identidades "desviantes" de gênero e sexualidade no teatro

Autor: Rodrigo Carvalho Marques Dourado

Páginas: 288

Editora: SESC

Este livro trata das relações entre o teatro contemporâneo e as identidades “desviantes” de gênero e sexualidade. Tendo como objetos de análise os espetáculos Carnes Tolendas: retrato escénico de un travesti (Argentina), Luis Antonio-Gabriela (BR), Ópera (BR) e Paloma para matar (BR), seu objetivo é investigar como as formas assumidas pela cena na atualidade traduzem uma crise das categorias identitárias LGBTI+. Tomando as identidades de gênero e sexualidade em seu caráter performativo, este estudo considera que o palco contemporâneo, como máquina de produzir representações, questiona, mais que afirma, os saberes e significados estáveis sobre o “desviante”.

 

 

Luzvesti: iluminação cênica, corpomídia e desobediências de gênero

Tamanho: Pocket 10 x 15cm

Páginas: 100

ISBN:

Editora: Devires

Autora: Dodi Leal

Discutir a iluminação cênica a partir de questões de gênero exige um olhar atento aos processos performativos da contemporaneidade. As novas tecnologias aplicadas ao corpo e a cena tensionam pixels com células levando os processos criativos a novas possibilidades de invenção, sempre críticas às normatividades. É neste sentido que uma proposta de corpomídia articulando as digitalidades do gênero produzem uma maneira de articular a cena a partir de uma indissociabilidade das corporalidades e dos aparatos informativos. O corpo aqui não é entendido como um suporte do gênero que se faz em cena, mas ao contrário, um corpo que em si é mídia de gênero. À despeito da hiperconectividade nos tempos atuais, o corpo em cena não fica ileso das informações performativas de gênero e, neste sentido, a recepção é convocada a ressignificar o olhar a respeito de expressões não hegemônicas. A luz tem um papel fundamental enquanto escritura de gênero na cena teatral, seja na composição contrastiva com as sobras no corpo, seja no que se refere à seletividade e modulação que promove a respeito dos artefatos normativamente considerados na arquetipia masculina e feminina. A contrassexualidade de Paul Preciado é aqui levada a cabo no sentido de retirar de foco as formas monossexuais e cardapialistas das siglas para um caminho de desobediência de gênero. Desvendar em cena as possibilidades do corpo e do gênero que rompam com as normatividades exige visualidades teatrais que expandem a performatividade cis naturalizada. É neste sentido que a luz cênica assume seu papel expressivo mais fundamental para desobediência de gênero no corpomídia: ao instaurar-se enquanto força lírica de visualidade cênica. O potencial performativo da luz retira desta linguagem a função unívoca da visibilidade da cena ou de promoção atmosférica e alcança novas possibilidades: desvendar gênero em traços sutis do corpo e na estética relacional entre corpos. Um livro pensado a partir das transgeneridades, escrito por uma travesti pesquisadora das artes cênicas, visa expandir os fazeres e dizeres de luz que se faz sobre o gênero no corpo e na cena. Este trabalho é um dos galhos arborescentes, fruto da tese de Doutorado de Dodi Leal sobre performatividade transgênera na recepção teatral, defendida na USP em 2018. A corruptela que dá título a este livro sintetiza sua proposta: LUZVESTI (luz + travesti): visualidades cênicas expressando as desobediências de gênero a partir da midialidade do corpo e do potencial performativo da luz. Uma leitura com imagens inusitadas!

2x de R$ 40,00
R$ 90,90 R$ 80,00
Comprar Disponibilidade: Imediata Estoque: 26 unidades
Pague com
  • PagHiper
  • Mercado Pago
Selos
  • Site Seguro

EDITORA DEVIRES - CNPJ: 26.877.292/0001-39 © Todos os direitos reservados. 2018