Carrinho de compras
Seu carrinho está vazio

Central de
Atendimento

0

Frete Grátis

acima de R$299

Descontos

em pagamentos a vista

Entrega local

receba hoje

Pague com cartão

em ate 12x s/ juros

Segurança

Loja oficial

Atualizando informações ...

Cabra macho e flamenco transculturados: a dança como embaralhamento de subjetividades

Marca: Devires
 

ou

Descrição Geral

Livro disponível em duas versões: preto e branco e com ilustrações coloridas

 

Sobre  autor

Daniel Moura

Dançarino, ator e produtor, atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal de Sergipe, Doutor e Mestre pelo Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da UFBA, graduado pela Escola de Dança da UFBA em 2004, estudou criação Coreográfica e dança moderna com Eliana Rodrigues, foi professor substituto do curso de graduação em dança da Escola de Dança da UFBA no departamento de técnicas e práticas corporais no módulo estudos do corpo em 2005, 2006, 2009 e 2010. Foi professor da Confraria Espaço Cultural no ensino de Dança Flamenca, diretor-fundador do grupo Flamencantes e colaborador do grupo Dimenti com quem realizou por sete anos, projetos culturais, espetáculos de dança e teatro entre outros. Pesquisador no Grupo de Dança e Performance da UFS e UMBIGADA, líder dos grupos de pesquisa ARDICO e GayT. Interessado em estudos culturais e de gênero, matrizes estéticas na cena contemporânea, performance e poéticas da encenação.

Lattes:  http://lattes.cnpq.br/7205741961154495

 

Síntese

A partir de uma fábula inventada sobre como os acontecimentos se embaralham na cabeça do autor, o presente livro discute o corpo transculturado como um processo de tensões entre os imaginários de masculinidade do cabra macho nordestino e do dançarino de flamenco, abordando noções sobre gênero, na construção de uma performance intitulada Protocolo.doc. Figuras do baralho comum dão forma aos pensamentos do autor performando drags para construir os argumentos que sustentam a escrita desta tese. A bibliografia de referência transita entre autores como: Ortiz (1983) e Rama (2008), para tratarem dos assuntos sobre transculturação, Butler (2003), como um dos principais pilares na construção da performance, no instante em que oferece um direcionamento teórico para repensar construções normativas tão fortemente delimitadas entre os gêneros. Para esta pesquisa, a transculturação é determinante na construção do pensamento que girará em torno do que estabelece Albuquerque Junior (2013), a respeito do imaginário de masculinidade nordestina, e Washabaugh (2005), com o argumento político da dança flamenca. Nesse sentido, estes dois universos transculturados no corpo do pesquisador abrirão espaço para algumas discussões sobre as noções de gênero, escrita performativa e escritura queer, em uma performance de dança que construirá no corpo os argumentos desses universos, que, por sua vez, alimentam a escrita deste livro

Avaliações

Produtos visualizados

Carregando ...