Carrinho de compras
Seu carrinho está vazio

Central de
Atendimento

0

Frete Grátis

acima de R$299

Descontos

em pagamentos a vista

Entrega local

receba hoje

Pague com cartão

em ate 12x s/ juros

Segurança

Loja oficial

Atualizando informações ...

Aos homens que não amo mais

Marca: Devires

Por:
R$ 43,90

R$ 41,71 à vista com desconto Pix - PagBank
ou 10x de R$ 5,11 com juros Cartão de Credito - PagBank
Simulador de Frete
- Calcular frete
Frete e prazo de entrega
Descrição Geral
  • Editora:  Devires
  • AUTORE(S): Gleiton Matheus Bonfante
  • ISBN:  9786589872054
  • Edição:  1ª Edição
  • Formato:  14.00 x 21.00 cm
  • Páginas:  152

 

?Aos homens que não amo mais" é uma coletânea apaixonada de poemas aos vultos dos amores do autor. Com linguagem ácida e afiada, o livro é sexy, ousado e subverte as noções de amor romântico investindo na hipérbole da indiferença, na transitoriedade do amor e na durabilidade insistente da saudade como uma distorção do que foi. Nesse livro o romantismo é carnal e o sentimento um espiral como começo e fim que embora morra no beijo, sobrevive no papel._x000D_ _x000D_ Gleiton Matheus Bonfante é linguista, poeta, educador e pesquisador. Bacharel em Linguística formado pela Unicamp. Mestre (2015) e Doutor (2020) em Linguística Aplicada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Suas áreas de interesse são: discurso e mídias digitais, estilização e construção semiótica do corpo e as relações entre linguagem, desejo e afeto. Publicou em 2016 Erótica dos Signos em Aplicativos de Pegação, pela Editora Multifoco. Sua escrita literária revisita as lembranças e vestígios de amores passados para queerizar o próprio conceito de amar._x000D_ _x000D_ ?A língua de Bonfante é terrorismo poético, diria Barthes (1990), tanto pela sua violência metonímica quanto pela sua capacidade de justapor, em um mesmo sintagma, fragmentos pertencentes a esferas da linguagem que estão hegemonicamente separados por tabus sociomorais. Putas e anjos, igreja e pornografia, formas canônicas e orgias, intertextualidade e deboche, tudo se transforma em poesia. Bonfante rima como se arrotasse, faz poesia como quem faz chuca.?_x000D_ _x000D_ Helder Thiago Maia, doutor em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense, Mestre em Literatura Hispano-Americana pela mesma universidade e Autor dos livros: O Devir Darkroom e a Literatura Hispano-Americana (2014) e Cine[mão]: espaços e subjetividades darkroom (2018).

Formas de Pagamento
Avaliações

Produtos visualizados

Carregando ...